Sunday, October 30, 2016

DA TRANSPIRAÇÃO DAS RUAS



Ele se apressava
e embora o tempo passasse acelerado 
entre os roncos de motor dos carros 
à procura de drive-in
o nosso filme era ali
à céu aberto
e em câmera lenta

a cidade exalava feromônios
o cio jorrava pelos córregos dos corpos
e das esquinas
em meu ouvido ele soprava fogo
que virava lava
que lhe queimava os dedos doidos

(na boca o gosto de adrenalina)
ele falava pequenas ousadias
que cresciam em minhas mãos

teu falo escravo dos meus movimentos
obedecia como um bom cavalo
&
eu escorria como um riacho
(no centro da cidade)

éramos explosivos
mais quentes que o óleo diesel 
da transpiração das ruas .

.
(RaiBlue)

Pintura: Jorge Gouvea
* Valeu pela inspiração, querido! <3 span="">

1 comment:

Felippe Macedo said...

Muito massa.**