Wednesday, June 29, 2016

NO BLUE(S) NOTURNO DOS TEUS OLHOS


No Blue(s) noturno dos teus olhos
amanheço incêndio
um rio de palavras em fogo
quem disse que não te ouço?

teus olhos recitam poemas
na fundura de um poço
(que sou
soul... soul...soul!)

tudo agora é eco
e o rigoroso inverno
até se esquece
entre as cordas desse blues
que teus olhos tocam

o arco da íris
a flecha
o feixe

de luz adentrando o quarto
o corpo

o sol do meio da noite dos teus olhos
se pondo em meu matinal riacho

a manhã é um lençol de água quente
entre as coxas

e uma guitarra ao fundo: tua íris
(abrindo minha concha).

.
(RaiBlue)

1 comment: