Thursday, April 21, 2016

SOBRE AS SOBRAS DO DIA


Não havia guerra alguma
senão essa
a memória do teu corpo
em minha reza
no lugar de um terço
tu me algemas
toda manhã me prendes
e me beijas ainda
e molhamos a cama de poemas.
Depois me ajeito
no que não tem jeito
(nem nunca terá)
me deito
sobre as sobras do dia
sob as sombras da noite
para de novo te encontrar
nesse lugar inacabado
de nós dois.
.
(RaiBlue)

No comments: