Tuesday, April 28, 2015

CORPO DE ÁGUAS PANTANOSAS



Pelo chão do quarto
o quartzo verde do meu olho
é quase mar revolto

(lágrimas de algas

e a salsugem do nosso amor

ainda grudada no meu faro)
meu corpo de águas
sobre retratos espalhados
alagando um passado que não passa

afogo
rasgo 
corto as ondas da dor à faca

nada se desmancha
nado
tudo é espanto!

você um pântano engolindo a casa
.

(RaiBlue)

.


No comments: