Sunday, May 02, 2010

Esferas nuas



A noite lambe minha carne
E tudo em mim quer devorar
Carnívora a língua rasga o zíper
Dessa distância espremida
Entre o meu corpo e o teu
Ateus meus olhos não te vêem Deus
Mas um pedaço de mim que me falta
A veia a via por onde a vida passa
Fálica avenida desse escuro suicida
Viés da costura de minha pele
[eu que sou tão camaleoa]
Moras no transe de minha epiderme
Trance psicodélico de esferas nuas
Somos orbitais que se encaixam
Na órbita dos corpos ar_riscando uma trilha
No véu da madrugada maya ou poesia
Sonoros ruídos da noite se esvaindo
Gemidos despertando o dia....

(Raiblue)

1 comment:

rafajr said...

Maravilhoso..pq sempre fico sem ar qdo te leio? hehe
Beijão