Sunday, April 05, 2009

Regue um reggae em meu corpo...




Porto ou precípicio
Naufrago, salto, perco o equilíbrio
Deslizo na corda das horas
Rapel do amor
Desenhando sobre o mar
O infinito...

Rasgue o meu vestido
E regue um reggae em meu corpo
Me vista de sonhos
Que eu te deixo louco
Nem Jung poderá interpretar
O que suponho...

É instinto
É estranho
É abrigo
É encanto

É bandeira na praia
Apontando o perigo
E nenhum salva-vidas
Nenhum barco nem saída...

Senão o fundo
Onde tudo é tanto
E, no entanto, escapa
Como água entre os dedos
Como as ondas dos beijos
Nos lançando para outro lugar...

Ora dentro, ora fora
E horas navegando sem parar
Até que tudo seja espuma
Brumas de amor sobre o mar...

(Raiblue)


P.S.:Todos os meus textos estão registrados na Biblioteca Nacional.

1 comment:

Jéfte Sinistro said...

Blue, minha cara, mereces um prêmio por conseguir me prender de tal maneira aos teus versos - por me tirar o fôlego no decorrer deles. Tuas palavras têm uma alma sedutora... (da qual sou 'vítima')
Um beijo especial pra ti, minha cara!