Monday, March 30, 2009

Anti-civilização



Paradigmas
Dúzias de dilemas
E o sistema sem lema nem leme
Naufragando no poente
Cor de sangue

Nuvens de crime
Desabando sobre as cidades
Tempestade salgada
Rios de lágrimas
Cortando as estradas
Levando os sonhos...

Restos humanos boiando
Nas águas turvas
Que correm noite adentro...
A ampulheta quebrou
O tempo parou
As areias cobriram o sentimento...

Movediço esse chão onde piso
Pântano de luxo e de lixo
Onde a lei faz a miséria
Ser apenas um artigo
Esquecido nas gavetas...

Enquanto isso nas sarjetas
O homem vira bicho
Afia os dentes nas grades
E saliva a vingança
Sem esperança nem perdão...

E o futuro?
Fica pichado no muro

Vestígios de uma anti-civilização...


(Raiblue)

3 comments:

IVANCEZAR said...

Oi minha querida baianinha !!
Muito lindo teu blog !!
Parabéns.
Estou engatinhando nesse mundo e se puder me visite - http://ivancezar.blogspot.com

beijão !!

Compulsão Diária said...

Tá bonito aqui, Rai

André Bianc said...

Menina sua obra é muito bela , pena que literariamente vc tenha nascido em um país errado.
Abraços Poéticos.
André Bianc
PS: Quando puder faça-me uma visita:
www.andrebiancpoeta.blogspot.com