Sunday, February 01, 2009

TRANS(FUSÃO)


Musa ou medusa
Sou qualquer coisa
Que em ti transmuta
Ursa Maior, tua NASA
A asa para tua órbita
O corpo para tua casa
Sou o medo e a medula
A célula que se renova
No roçar das pernas
No abrir das pétalas
Na seiva da selva
Tua Amazônia intacta
A paz de tua taba
Sou a pérola
Na correnteza de tua saliva
Sou o doce no sal de tua língua
E tua acidez corrosiva
Sou tua cama e leoa
Camaleoa que se perde em tua pele
Quase kamikase
No zarpar das viagens
Sou a proa e o sem prumo
E a prosa das águas no fundo
Sou a palavra úmida e cálida
O cio da sílaba que te arrepia
No teu olhar, sou as entrelinhas
Onde a bússola se perdeu
Sou lua difusa, loa confusa
Que transfusa em tua veia
Via sem saída, vermelha teia...

Fora de ti, sou extravio
Contigo sou navio
Aportando em tuas beiras...

E o resto é mar
Waves a nos levar...

(Raiblue)

1 comment:

A.S. said...

Na praia azul do teu corpo
há um vento sem destino
sem porto, sem cais,
a soprar por onde vais…

AL