Friday, April 18, 2008

Rosa coronária


Hoje a palavra

Ficou presa na glote

Quase edema

Refluxo...

Mergulhada no ácido

Do plexo solar

Sem estrelas

Nublado...

Enjôo...

Tédio...

Sílabas circularam

Entre o abdômen

E o pulmão

Procurando

Saídas ...

Atingindo o coração

Ainda molhadas

Pelo suco gástrico

E o sangue se misturou

Ao ácido

Palavra final

Não pronunciada

Silêncio letal...

Injustiça social!

Despedaçada

A rosa coronária

É levada

Pela correnteza

Arterial

Lavando a carne

Exposta

Na calçada...

Arre(dores)

D'alma ...


(Raiblue)

3 comments:

Toner said...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Toner, I hope you enjoy. The address is http://toner-brasil.blogspot.com. A hug.

Max da Fonseca, said...

Tenho-te entre os dedos.
Saber te segurar é o segredo.
Todos as rosas têm espinhos;

Tenho-te a beleza coroada.

Max da Fonseca, said...

Todas*