Tuesday, January 22, 2008

Auto- retrato à luz de velas...



Auto-retrato à luz de velas...

Não gosto muito de falar de mim, prefiro ser sentida. Então, para fazê-lo, necessito da escuridão, apenas com um feixe de luz para que eu possa enxergar as linhas, e, nas entrelinhas, ir me descobrindo ou me estranhando à medida que vou surgindo no papel.

Sou da noite e seus tormentos e delírios, portanto, sou lunática!Ando sempre no mundo da lua, o planeta regente do meu signo solar, aquele que rege também as águas, logo sou intensamente aquática, ligada profundamente ao mar, mar que lambe a areia...numa deliciosa provocação...Vai ver que é por isso que adoro fazer amor em contato com a natureza...,mas sempre à noite,é claro,pois a escuridão amplia os sentidos,ilumina meu olhar,enxergo bem melhor à noite ,principalmente de madrugada.No resto do tempo,sou somente sombra da luz distante da noite...

Minhas histórias são impregnadas de perfumes, tudo tem um cheiro, até mesmo a tristeza, cheiro e gosto de tamarindo, mas eu gosto de tamarindo,vai ver que é por isso que eu sou um tanto triste,uma tristeza saudável, de quem, como o Drummond,carrega todas as dores do mundo!!

Vejo-me e sinto-me azul, azul marinho é claro, da noite, apesar de dizerem que sou colorida!Talvez seja esse arco-íris que passa por mim após as chuvas da minha alma!Adoro a chuva, o seu cheiro, o seu contato com a minha pele, parece me abrir inteira, como se eu fosse um imenso horizonte azul!A chuva tem cheiro de tristeza, mas ,também,de aventura....que acontece na pele....é transparente e secreta,como eu...Ah,os beijos que acontecem sob a chuva....possuem gosto e cheiro de eternidade!!

Sou música vinte e quatro horas por dia, acordo, durmo e ando pelas ruas sempre ouvindo música, e é engraçado, as pessoas, os lugares,as cores ganham outra dimensão,os movimentos parecem sincronizados com a música que só eu ouço,e se não ouço,porque esqueci meu mp4, logo invento uma, só para dar o ritmo que eu quiser às cenas que vejo.Chego a pensar que não conseguiria enxergar nem sentir se não existisse música.Concordo com o Nietzsche,a vida sem música seria um erro.

É ela que me leva... é ela que me eleva!

Até as palavras são músicas!E aí chego ao insano ato de escrever!Essa tentativa inútil de querer revelar-me a mim mesma ou de me esconder, não sei bem ao certo, ora parece ser eu, ora outras que nem sei...

Como diria minha genial Clarice, viver ultrapassa qualquer entendimento...Então,nem quero saber quem sou...vou vivendo...me reinventando, na tentativa vã de querer existir de qualquer jeito,mas, quando vejo,não me reconheço ou não assumo minha marginalidade submersa em meus submundos,por timidez ou puro medo de ser julgada de pervertida alma!

Contudo,confesso,prefiro ser essas outras, numa rebeldia latente de alguém que quer ser poeta, mas me falta a métrica certa para criar as sílabas poéticas , então vou arriscando e riscando versos livres, tem mais a ver comigo...com meu espírito ...

A liberdade é o meu maior vício e é azul!Quem é livre é eterno, assim não preciso me preocupar com o fim das coisas ou da vida... ou do amor...,porque quem ama é livre,e como já cantava o Beto Guedes,o medo de amar é o medo de ser livre...,e como sou livre,só vivo num eterno estado de amor...

E assim, não penso mais no que sou...apenas vou...apenas vôo...de preferência à noite....

(Raiblue)

4 comments:

Amandita said...

Ôôô...
Deu uma crônica linda esse teu ser...
Rai de versos e prosas...
Linda, linda! Uma alma iluminada...
Te amodooooroooo!

Mil beijos azuis, perfumados, direto na alma...

Anonymous said...

Adoro teus voos nocturnos!...
Umas vezes suaves como plumas, outra vezes em deliciosas vertigens...

Antonio said...

:) - Antonio Lima

Antonio said...

:)